ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA À INOCULAÇÃO DE Azospirillum brasilense NA CULTURA DO MILHO

Gabriel Luiz Coltro, Gian Carlos Lizzoni, Rosana Andreia da Silva Rocha, Debora Curado Jardini

Resumo


A utilização de bactérias diazotróficas pode auxiliar a alcançar maiores produtividades e reduzir custos de produção da cultura do milho. Objetivou-se avaliar o crescimento e desenvolvimento do milho em resposta à inoculação de Azospirillum brasilense associada à adubação nitrogenada. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, com oito tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram: T1 (0 kg de N); T2 (50 kg de N); T3 (100 kg de N); T4 (0 kg de N + A. brasilense via foliar); T5 (50 kg de N + A. brasilense via foliar); T6 (100 kg de N + A. brasilense via foliar); T7 (0 kg de N + A. brasilense via semente); T8 (50 kg de N+ A. brasilense via semente) e T9 (100 kg de N + A. brasilense via semente). As avaliações foram realizadas quando o milho atingiu a maturação fisiológica, sendo avaliado a altura de plantas (cm), altura de inserção da espiga (cm), peso de mil grãos (g) e produtividade (kg/ha). A adubação e a inoculação com Azospirillum brasilense não influenciaram nas variáveis altura de plantas, altura de inserção da espiga e peso de mil grãos. Já a produtividade foi superior para os tratamentos 6 e 9, evidenciando os efeitos benéficos da associação da adubação com Azospirillum brasilense na cultura.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.