USO DE FOTOBIOMODULAÇÃO EM TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

Autores

  • Heloise Vieira dos Santos
  • Julia Procópio de Oliveira
  • Leticia Alves Arruda
  • Marco Antônio Missassi Coelho

Resumo

A disfunção temporomandibular (DTM) é um problema comum que afeta uma grande parte da sociedade, tendo como consequências na limitação da amplitude e no padrão de movimento da mandíbula. Objetivo: realizar uma revisão de literatura abordando o efeito da fotobiomodulação no alívio da dor associada à DTM. Método: trata-se de uma Revisão de Literatura, que utilizou bases de dados Scielo, Pubmed e BVS Odontologia, Google acadêmico, literaturas publicas tanto no idioma português quanto no inglês, publicada entre 2017 e 2023. Discussão: A etiologia específica da DTM ainda não foi totalmente esclarecida, mas o estresse e a ação repetida de ranger os dentes são fatores contribuintes. A terapia de fotobiomodulação é uma alternativa para o tratamento da DTM, pois possui propriedades de alívio da dor, redução da inflamação e promoção da regeneração, além de ser uma abordagem não invasiva. A terapia de laser de baixa intensidade (LBI) atua estimulando a produção de adenosina trifosfato (ATP), reduzindo o consumo de oxigênio celular e controlando a inflamação. A fotobiomodulação pode aliviar a dor, melhorar a função e a qualidade de vida dos pacientes com DTM. No entanto, é importante ressaltar que o tratamento da DTM é complexo e requer uma abordagem multidisciplinar, incluindo fisioterapia, terapia medicamentosa e mudanças comportamentais. Conclusão: A fotobiomodulação deve ser considerada como parte de um plano de tratamento abrangente para a DTM.

Palavras-chave: Articulação Temporomandibular; Laser de baixa intensidade; Disfunção Temporomandibular.

Downloads

Publicado

2024-02-29

Edição

Seção

Artigos